quinta-feira, 4 de agosto de 2011

O retorno de Argos, o ET de 100 olhos

Félix Maier

21/09/2010

Em 2002, Argos, a arguto ET de 100 olhos, oriundo da Constelação de mesmo nome, esteve em visita à França e ao Brasil, para conhecer os respectivos sistemas eleitorais (Cfr. http://www.digestivocultural.com/colunistas/coluna.asp?codigo=749&titulo=Argos,_o_ET_de_100_olhos).

Em setembro de 2010, Argos voltou ao Brasil e concedeu a seguinte entrevista exclusiva.

- Argos, o que você acha das atuais eleições?
- Em 2002, eu observei que todos os candidatos a presidente do Brasil eram de esquerda. E agora?
- São todos também de esquerda, com o detalhe de que em 2010, como em 2006, há 3 petistas: Dilma Rousseff, Marina Silva e Plínio de Arruda Sampaio. Para enfrentar o bobo da corte da vez, também esquerdista, que se chama José Serra.
- Mas Marina e Plínio são de outros partidos, não são petistas.
- Ora, Argos, uma vez petista, sempre petista. Você acha que Marina e Plínio iriam apoiar quem, se houvesse 2º turno?
- Então não haverá 2º turno?
- Com a máquina de triturar carne adversária de Lula para apoiar Dilma, e com os institutos de pesquisa manipulados, a futura presidenta já disse que nem Cristo irá impedir que ganhe.
- Presidenta?
- É como Dilma gostaria de ser chamada. Rima com sargenta e rabugenta.
- Sei que Lula tem alto índice de popularidade. Tomei conhecimento da corrupção do governo Lula, no caso do Mensalão. Por que Collor sofreu impeachment e Lula, não?
- Ora, Argos, você não está sendo arguto. Ocorre que Lula é blindado por teflon, assim como era o presidente Reagan, dos EUA. Nada cola nele. O mísero operário de 9 dedos tornou-se inimputável, assim como são inimputáveis os loucos, as crianças e os índios – além dos petistas em geral.
- E a OAB, o que disse de Lula?
- Como você sabe, Argos, a OAB, a ABI e um órgão positivista de Curitiba exigiram o impeachment de Collor, mas se calaram covardemente no caso Lula, o Chefão do Mensalão.
- Por quê?
- Esses órgãos são todos esquerdistas e corporativistas por natureza. Veja a OAB: foi a favor da Lei da Anistia, aprovada em 1979, mas tentou modificá-la recentemente, para punir apenas supostos “torturadores” dos governos militares, deixando de fora sequestradores e terroristas de esquerda. Por sorte o Supremo não entrou no esquema de caça às bruxas, insuflado pela dupla bolchevique Tarso Genro-Paulo Vannuchi.
- Há motivos para Lula ter 80% de aprovação?
- Nenhum motivo. Mas, com uma propaganda ufanista e mentirosa, atingindo corações e dementes 24 horas por dia, o resultado não poderia ser outro. A propaganda milionária do pré-sal, cujos poços não produzem ainda nenhuma gota de petróleo, faz esquecer que as estradas estão esburacadas, a Saúde na UTI, a Educação no buraco, a Segurança Pública entregue a traficantes e milícias.
- Mas como explicar isso?
- Não há explicação. No primeiro governo Lula, o Brasil só cresceu mais que o Haiti, então em plena guerra civil. O fato mais importante naquele período, como já dito acima, foi o episódio do mensalão, a compra de votos de parlamentares para tocar o governo petista. O episódio levou à queda do araponga cubano-brasileiro José Dirceu, que colocou em seu lugar a “companheira d’armas” Dilma Rousseff na Casa Civil. Como você sabe, Argos, o Brasil, em 2009, andou como caranguejo: para trás. Assim, em relação ao ano passado, os índices de 2010, assentados em uma pequena arrancada econômica baseada em financiamento farto para moradia, automóveis e outros bens de consumo, são quase iguais aos da China. A propaganda ufanista do governo soube aproveitar a situação. Enquanto isso, todos esquecem que a dívida pública quase triplicou sob o comando de Lula, está por volta de R$ 2 trilhões! Deve estourar a qualquer momento, devido aos altos juros, os maiores do mundo.
- E como Lula saiu da encrenca do mensalão e conseguiu se reeleger?
- O tempo, Argos, o tempo. O povo esquece fácil sobre a vida dos políticos. Muitas vezes, até aprova falcatruas, reelegendo corruptos notórios. Sem falar na tentativa petista de censurar a imprensa e a mídia, como a criação do Conselhão de Jornalismo. Felizmente, os jornais e as emissoras de TV caíram de pau em cima do modelo cubano-chavista e a coisa não prosperou. O então Secretário de Comunicação Gu-Shi-Ken quis até distribuir uma cartilha politicamente correta à população, em que praticamente criminalizava palavras como “veado” e “cabeça chata”.
- Mas como Lula saiu ileso?
- Por vários motivos. Primeiro, porque os ditos movimentos sociais, como o terrorista messetê, e principais organizações da sociedade civil são todos esquerdistas e muito bem organizados, de modo que já se infiltraram em todos os setores públicos. Não iriam atacar Lula, que, cinicamente, sempre repetiu que “não sabia de nada”. Além dos 40 ladrões do mensalão, faltou o Supremo incluir Ali Babaca, aquele que finge que não sabe de nada.
- E a oposição, o que fez?
- Em segundo lugar, Argos, a oposição que existe é a oposição que o PT sempre pediu ao diabo. O então presidente do pefelê, hoje Democratas, preferiu não fazer nada e deixar Lula “sangrar” politicamente até a morte.
- Você está falando do Bornhausen?
- Isso mesmo, Argos, meu conterrâneo de Santa Catarina. Um político que se apresentava como raposa velha não passou de um político provinciano que nunca entendeu a desgraça que significa o petismo. O castigo virá logo para essa falsa oposição: o Dem vai se tornar um partido nanico.
- E não houve reação da sociedade contra o mensalão?
- Houve, sim, Argos. O messetê, a UNE e a CUT, organizações-pelego de Lula, fizeram uma passeata em Brasília, em apoio a Lula e a maracutaia petista.
- Você falou em Democratas. Por que o PFL mudou de nome?
- Passado o episódio do mensalão, o povo esqueceu tudo e passou a apoiar Lula, que aumentava a sua popularidade quanto mais denúncias contra o governo apareciam. O pefelê, formado por liberais “que não ousam dizer seu nome”, mudou o nome para Democratas. No atual estágio do fascismo brasileiro, a palavra liberal virou palavrão. Tem até empresário de São Paulo se filiando a partido socialista.
- E o que o Democratas ganhou?
- O único fato de relevo que os covardes conseguiram foi a cassação do único governador eleito pela sigla, José Roberto Arruda, do Distrito Federal, que foi flagrado recebendo maços de dinheiro, como propina, perdeu o cargo e passou uns tempos no xilindró da Polícia Federal.
- O PT não deixou Arruda “sangrar” até a morte...
- Não, Argos. Com o Petistério Público trabalhando a favor da petezada, não tem erro. Os adversários políticos pegos com a munheca no dinheiro alheio são tratados como bandidos. Os amigos bandidos são chamados por Lula de “aloprados”.
- Aloprados? Como assim?
- Nas vésperas das eleições presidenciais, em 2006, a polícia flagrou bandidos petistas em um hotel com uma montanha de dinheiro, que seria para vender a uma revista um dossiê falso sobre José Serra, candidato a governador por São Paulo, e Geraldo Alckmin, candidato presidencial – o bobo da corte de então. O objetivo era “melar a eleição”. Na ocasião, Lula apelidou os companheiros bandidos de “aloprados”
- E os aloprados foram presos?
- Nem me lembro mais, Argos. Se foram presos, logo foram soltos, como acontece sempre no Brasil, a superpotência da impunidade. Até hoje a Polícia Política Federal do Comissário do Povo Tarso Genro não sabe a origem de tanto dinheiro.
- Quer dizer que uma montanha de dinheiro derrubou Roseane Sarney, em 2002, mas não conseguiu derrubar Lula em 2006?
- O máximo que ocorreu na ocasião foi Lula ir para o 2º turno, quando Alckmin conseguiu obter ainda menos votos que no 1º turno. Como eu disse, o povo esquece logo. Aliás, teve um outro fato que ajudou Lula no episódio dos aloprados: caiu um avião da Gol matando mais de 200 pessoas, e as TVs e jornais não diziam outra coisa naquela ocasião. Ah! Ia-me esquecendo. A queda da Roseana, em 2002, foi tramada por petistas.
- Você disse que existe fascismo no Brasil. Como assim?
- Ora, Argos. Quando todos os setores da sociedade estão cooptados com um partido e com o poder central, ou com uma personalidade, como Lula, quando não existe oposição efetiva, você pode chamar tal fato de fascismo. Os sindicatos foram todos cooptados, muitos de seus caciques hoje ocupam cargos relevantes e têm orçamentos bilionários. Até a Força Sindical, antiga oponente da CUT, aliou-se ao governo petista. A estudantada não pinta mais a cara, como na ocasião da derrubada de Collor, mas apoia a corrupção petralha. São os “balilas” do Mussolini de Garanhuns. O messetê não é considerado grupo terrorista, mas o braço armado do PT, e em poucas horas tem capacidade de colocar 3 milhões de baderneiros nas ruas. Hoje, muitos líderes do messetê são chefetes do INCRA e orientam os falsos sem-terra sobre quais fazendas devem ser invadidas. As crianças do messetê, desde tenra idade, são doutrinadas na revolução comunista. São os “filhos da loba” do Duce petista. Os bispos vermelhos da CNBdoB querem realizar plebiscito para limitar o tamanho das propriedades rurais. Os empresários se filiam a partidos socialistas, para obter as benesses do governo, incluindo os donos de TVs. As empreiteiras do PAC não têm reclamações a fazer, nem os banqueiros, que lucram como nunca. Se não há oposição e existe unanimidade em torno da ideologia do Grande Líder, como não falar em fascismo? É uma espécie de gay fascism, o povo todo “alegre” e satisfeito com o Duce cucaracha.
- Você falou em petralha...
- Na definição do jornalista e escritor Reinaldo Azevedo, articulista e blogueiro da revista Óia, petralha significa a junção das palavras “petista” com “Irmãos Metralha”. Ele até escreveu um livro sobre o assunto, O País dos Petralhas. Petralha é, portanto, o petista que mete a mão no dinheiro público. Mas, por dever de justiça, deve-se dizer que todo petralha é petista, mas nem todo petista é petralha. Como os dinossauros, os petistas se dividem em carnívoros e herbívoros. A diferença é que os petistas herbívoros eventualmente também comem carne...
- Você está sendo irônico...
- É, Argos, num país onde a moral e os bons costumes foram jogados no lixo, a corrupção foi institucionalizada e a argumentação lógica não serve para nada, sobrou a ironia.
- E como foi a política de Lula em geral, no Brasil e no exterior?
- No Brasil, foi a política do créu: os impostos não deixaram de aumentar, principalmente para a classe média, para fazer caixa para o programa do Bolsa Família, o maior programa de voto de curral do universo, já que é direcionado a mais de 12 milhões de famílias – o que é um absurdo, já que a obesidade é um problema sério para o Brasil, não a fome. No exterior, foi a política do rebolation, com abaixadinha do derrière até o chão: rebolation na relação umbilical com Fidel Castro; rebolation nos encontros secretos com Hugo Chávez, para implementação dos objetivos do Foro de São Paulo, que pretende comunizar toda a América Latina; rebolation na revisão do Tratado de Itaipu, aumentando a conta de nossa luz, para salvar a vida política do bispo pedófilo presidente do Paraguai; rebolation no caso das refinarias da Petrobras na Bolívia, tomadas na mão grande pelo Exército boliviano; rebolation na relação amistosa com ditadores africanos e árabes, além do camarada Ahmadinejah, do Irã. E dá-lhe dinheiro, a fundo perdido, para toda essa companheirada.
- E o FMI?
- Pois é, Argos. Antes, os petistas demonizavam o FMI, com apoio dos bispos vermelhos. Depois que Lula assumiu o governo, pagaram a dívida junto àquele organismo da ONU e não se fala mais no diabo. Recentemente, Lula até emprestou dinheiro ao demônio.
- E a dívida externa, foi toda paga?
- Os petralhas espalharam o boato de que a dívida externa foi paga pelo governo Lula. Mentira. Ela até aumentou mais um pouco.
- Já existem exilados da era Lula?
- Não só exilados, como também asilados políticos. Lula recebeu de braços abertos os terroristas Cesare Batisti, da Itália, e Olivério Medina, o “Cura Camilo”, embaixador das FARC (Colômbia) no Brasil, ambos requisitados pela Justiça dos respectivos países. O governo Lula também produziu alguns exilados, que se refugiaram no exterior, por estarem sendo perseguidos no Brasil. O filósofo e escritor Olavo de Carvalho trabalha atualmente nos EUA, como correspondente do jornal Diário do Comércio, de São Paulo, já que foi despedido de todos os jornais e revistas em que trabalhava no Brasil. O evangélico Júlio Severo teve que se refugiar na Europa porque estava sendo perseguido pelo movimento gay, por ter publicado um livro sobre o assunto. Bruno José Daniel Filho e sua esposa se exilaram na França, com medo de serem torturados até a morte como ocorreu com o ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel. Yves Hublet, aquele que deu bengaladas no cocoruto de José Dirceu, no Congresso Nacional, exilou-se por uns tempos na Bélgica e voltou ao Brasil recentemente, onde teve uma morte suspeita. A esposa do radialista e jornalista de TV Jorge Cajuru foi estuprada por um político de Goiás e teve que fugir do País para não morrer. Cajuru também denunciou no Programa Raul Gil que o Ministro da Propaganda Franklin Martins, o Goebbels do governo Lula, dá propina a emissoras de rádio do interior do Brasil, para falar bem do governo. Se o locutor falar mal, a mesada é cortada. Lula criou duas TVs governamentais, a TV Brasil, mais conhecida como TV Lula, e a TVT, a TV dos Trabalhadores. As TVs têm tanto prestígio quanto o candidato do PSol a presidente, dá só traço, mas quem se importa com os milhões gastos na brincadeira?
- E a Dilma, não há nada que manche sua biografia?
- Não, Argos. A oposição de mentirinha esqueceu de lembrar ao povo brasileiro que Dilma, além de ter sido uma terrorista e assaltante do cofre do Adhemar de Barros, é uma mentirosa à altura do “maior mentiroso do Brasil” (clique no Google para descobrir quem é...). Além de manter no site oficial um título acadêmico que não tinha obtido na Unicamp, Dilma mentiu no caso do dossiê montado na Casa Civil contra FHCannabis e sua esposa Dona Ruth, logo depois que surgiu o escândalo dos cartões corporativos. Mentiu também quando disse que não recebeu no Palácio do Planalto a antiga Secretária da Receita Federal, Lina Maria Vieira, a quem ela pediu para “aliviar” as investigações sobre a vida financeira de um filho de José Sarney. Aliás, Lina Vieira também pretende se exilar, já que continua sofrendo ameaças da petralhada.
- Como explicar a liderança da candidata criada por Lula, já que o partido dela pretende fazer do Brasil uma Cuba continental, como está previsto no Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3) elaborado por Dilma Rousseff, Tarso Genro e Paulo Vannuchi?
- É, Argos. Vejo que você está por dentro das coisas...
- Pra que eu tenho estes 100 olhos?
- Ora, Argos, “quem comeu sapo, engole perereca”, já diz uma marchinha de carnaval (Cfr. www.youtube.com/watch?v=B2sXPmdsImM). Depois do sapo barbudo, por que não uma perereca de bigode, mas com cara alisada pelo PAC?
- PAC?
- Processo de Alisamento da Cara, com cirurgia plástica. Você reparou a cara do Serra nestas eleições? Não são de um pé-na-cova?
- Você tem razão. A imagem é tudo na TV. Por isso Dilma está disparado na frente.
- E Serra foi escolhido mais uma vez para perder. Já no primeiro programa de TV, ele apareceu para elogiar Lula. Assim, por que votar nele e não em quem o presidente está indicando? Mais uma vez está provado: o PSDB é irmão siamês do PT. Anos atrás, havia até estudos para unir as duas siglas, com apoio de Lula, como afirmou Ricardo Kotscho no livro Do Golpe ao Planalto.
- Priismo à vista?
- Com certeza, Argos. Se nada for feito para barrar o assalto avassalador ao Estado brasileiro, o PT e aliados poderão se tornar o novo PRI mexicano, que ficou no poder o mesmo tempo que os bolcheviques na União Soviética: 70 anos.
- Setenta anos de PT?
- Ninguém merece, Argos. Mas quem aguentou 8 anos de “luluzela”, pode aguentar qualquer coisa durante décadas.
- “Luluzela”?
- É a combinação da palavra “Lula” com “vuvuzela”, aquela corneta de corno que infernizou os jogos de futebol na Copa da África do Sul. Tenho amigos que sofrem mal-estar profundo só em ouvir a luluzela, uma mistura de voz de cachaceiro com cuspe grosso. Esses amigos, se não desligam logo a TV, têm que correr ao banheiro, com mais um ataque de diarreia. Eu, p. ex., sinto uma azia danada ao ouvir a luluzela. O sal-de-frutas Eno é que tem me salvado a vida.
- E as últimas acusações envolvendo pessoal da Casa Civil e dos Correios?
- Ora, Argos, Lula e Dilma estão corretos: trata-se apenas do desespero do candidato tucano e acusação falsa da elite branca de olhos azuis dos donos de jornais e TVs. É apenas mais um chororô da oposição...

E Argos partiu de volta à sua Constelação, triste em saber como o país do futuro, o Brasilistão – bantustões de guetos indígenas, quilombolas e messetê -, foi tomado pela bandidagem política. E o povo, alienado, apóia as maracutaias petistas sem restrições, dentro da máxima da Lei de Gerson, “leve vantagem você também”. Argos ficou em dúvida: esse povo é idiota útil ou patife assumido? Eu fico com a segunda opção. É o resultado natural para quem vê as novelas da TV Globo durante 40 anos e foi doutrinado, nas últimas décadas, pela revolução cultural gramsciana nas escolas e universidades.

Já dentro do disco voador, pude ouvir a marchinha “quem comeu sapo, engole perereca”, que eu havia gravado num pendrive e doado a Argos. E Argos acompanhava, em voz alta:

- Eureka! Eureka! Quem comeu sapo, engole perereca! (bis)

Cante junto com Argos Perereca de Bigode (Dilma Presidenta):
http://www.youtube.com/watch?v=B2sXPmdsImM&eurl=