segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Senado Federal: A casa da mãe joana se transforma em chiqueiro

Félix Maier

28/10/2007

Com a absolvição de Renan Calheiros, o Senado brasileiro virou a casa-da-mãe Joana, e ao fazer homenagens a Che Guevara, el chancho (o porco), se transformou num chiqueiro.


Com a absolvição de Renan Calheiros, no primeiro processo que ele enfrentou no Parlamento - há meia dúzia de outros a caminho, se o Conselho de Ética não se transformar no "conselho da caca" -, o Senado brasileiro virou um meritrício (que me desculpem todas as prostitutas do mundo, pela comparação). No dia 23 de outubro, ao fazer homenagens a Che Guevara, "el chancho" (o porco), o Senado se transformou num chiqueiro. Dizem que foi a pedido do PSol da ex-senadora Heloísa Helena, aquela que ostentava com orgulho um pôster gigante do "porco" na parede de sua sala no Senado.

Abaixo, seguem alguns comentários meus a respeito das frases proferidas por alguns dos admiradores da Peste Vermelha, obtidas do site do Senado no dia 23/10:

"Tião diz que maior legado de Che é a possibilidade sempre presente de mudarmos o mundo".

Tião Viana, atualmente na função de presidente do Senado, tem razão. O comunismo realmente mudou a face do mundo, "um outro mundo é possível": foram 110.000.000 milhões de mortos nos países onde a ideologia de Che Guevara prosperou, especialmente na União Soviética dos Gulags e na China da Revolução Cultural. No Camboja de Pol Pot, montanhas de ossadas comprovam o terror da Peste Vermelha que dizimou mais de 40% de toda a população (3 milhões de mortos entre uma população de 7 milhões) - proporcionalmente, é o maior genocídio que já houve na história da humanidade.

"José Nery rebate críticas da mídia a Che Guevara".

Como todo comunista que se preza, José Nery não aceita crítica, quando é contra a esquerda, pois prega a mais rasteira subserviência a tiranos como Fidel Castro e aprendizes de tiranos como Hugo Chávez. Para os defensores da Peste Vermelha, a única verdade é a deles, mesmo que esteja alicerçada na mais deslavada mentira, como a propagada nos bancos escolares do Brasil, onde o Capitalismo é execrado e o Comunismo é apresentado como o "assalto ao céu", no dizer de Emir Sader. Aliás, até os tais ossos de Che "recolhidos" na Bolívia e levados para um mausoléu em Cuba estão sob suspeição, pois não houve nenhum tipo de pesquisa genética a respeito, como o exame de DNA. Quem os calhordas vermelhos pensam que enganam?

"Mesquita Júnior destaca importância de Che para a América Latina".

Realmente, Che Guevara foi importante para a América Latina, na medida em que incentivou milhares de estudantes a pegar em armas, a serviço de Moscou, da China e de Cuba, para transformar a região em uma nova União Soviética. Muitos deles morreram jovens, tanto nos embates nas ruas do Rio e de São Paulo, quanto nas selvas de Xambioá, enquanto que seus mentores, como João Amazonas e Luiz Carlos Prestes se tornaram nonagenários, sempre cercados da mordomia capitalista que tanto execravam. Oscar Niemayer, que este ano completa 100 anos, 10 a mais do que a Revolução Russa, é outro exemplo de fiel seguidor do PCC (Partido Comunista de Copacabana): enquanto elogia um facínora como Fidel Castro, tecendo elogios sem fim ao Socialismo, ele mora em confortável apartamento "burguês", de frente para o mar, com Mercedes Benz (e motorista) na garagem.

Assim, eu também quero ser comunista! Felizmente, os mercenários apátridas da Peste Vermelha não tiveram êxito nas décadas de 1970 e 1980 e foram dizimados no Brasil, na Bolívia, no Uruguai, na Argentina, no Peru e no Chile. A Colômbia, que não fez seu dever de casa, pois gazeteava a aula da democracia, não se importou com o avanço da Hidra Vermelha e até hoje é obrigada a suportar o terrorismo dos narcotraficantes das FARC, movimento oriundo do marxismo, que hoje é dono de 40% daquele país.

"João Pedro critica revista Veja por matéria contra Che".

Não podia ser diferente: João Pedro só aceita que exista um único tipo de imprensa no Brasil, a imprensa das esquerdas, aquela que serve apenas para elogiar os heróis da Nova Classe, que promovem a criação de um governo fascicomunista, como é o caso de Lula e seus asseclas, que se julgam os donos perpétuos do País. Por isso a necessidade de criar a TV Lula, paparicar o Jornal da Record e o Record News (a cabeça de Boris Casoy foi pedida numa bandeja pelas "salomés" petistas), e os eternos ataques contra as Organizações Globo (especialmente a TV Globo e a revista Época), contra a revista Veja e outros órgãos midiáticos ainda não subjugados ao dogma esquerdista de feição gramscista. A propósito, pessoas como João Pedro desejam para o Brasil o que existe em Cuba, com o Granma, pasquim oficial dogmático do Partido Comunista, que monopoliza as informações, em que apenas a exaltação ao Abutre do Caribe é permitida; críticas, jamais! E onde a Internet é permanentemente vigiada e censurada.

"Inácio Arruda: homenagem é reconhecimento da dedicação de Che Guevara ao combate às desigualdades sociais".

Para combater as desigualdades sociais, devem ser incentivados a liberdade individual, o livre empreendedorismo, o livre mercado, não a ditadura comunista, que apenas consegue nivelar todos os homens na miséria, a exemplo de Cuba e Coréia do Norte. Ao final da Guerra da Coréia, a Coréia do Sul se igualava à Coréia do Norte, em termos sócio-econômicos. Hoje, a Coréia do Sul é 30 vezes mais rica que a irmã do Norte, provando que o Capitalismo é muito superior ao Comunismo no desenvolvimento de uma sociedade - sem falar que a liberdade só existe nos países capitalistas. O mesmo se pôde comprovar na Alemanha dividida: a Oriental, subjugada pelo Comunismo, era muito mais pobre que a Ocidental por ocasião da reunificação feita depois da queda do Muro de Berlim. De um lado, a pujança do Mercedes Benz. Do outro lado, a desgraça da fumacenta fubica Trabant, carro econômica e ecologicamente incorreto.

"Serys afirma que Che Guevara simboliza a luta pela igualdade e liberdade".

Mentira: Che Guevara, el chancho (o porco) sempre simbolizará o pior regime totalitário que já houve sobre a Terra, que, como já foi dito, provocou a morte de mais de 110.000.000 de seres humanos: o Comunismo.

"Suplicy critica bloqueio norte-americano contra Cuba".

Mentira do senador burguesão fantasiado de socialista: nunca existiu bloqueio americano dos EUA contra Cuba, a não ser durante o curto espaço de tempo em que houve o caso dos mísseis nucleares que Moscou havia instalado em Cuba. O que existe é embargo econômico dos EUA - e não é um embargo total, pois grande parte da população cubana, para não morrer de fome, vive dos dólares enviados por familiares de Miami, principalmente. Como se vê, além de sonolento, Suplicy é um sujeito mentalmente retardado - ou então é um sujeito de má-fé, o que não melhora em nada sua foto ao lado de seu ídolo el chancho (o porco).

"Sibá destaca contribuição da revolução cubana para a inteligência humana".

A única contribuição cubana que conheço é a leoneira, uma jaula com barras de ferro em que os presos são colocados em cima dos telhados, para tremer de frio à noite e assar sob o sol durante o dia. Essa é a mais bela contribuição da inteligência cubana para a tortura. A tortura é a principal contribuição desses verdadeiros animais que são todos os comunistas, a exemplo desse deplorável deputado Sibá, do PSol, que aprova um regime que até hoje mantém presos políticos e promove a tortura contra opositores, como ocorre em Cuba.