sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Fat Man quer comer ainda mais...

09/11/2008

Caro Ruben,

Sua análise sobre a alavancagem financeira, que tornava cada cidadão americano proprietário de casa na cidade, outra no campo e mais uma na praia, está corretíssima. Estava claro que, em algum momento, tudo iria ruir. Atualmente, as viúvas de Marx saltitam de alegria, dizendo que tudo foi obra do neoliberalismo, que agora será enterrado, quando a culpa maior foi do governo (via juros baixíssimos) e de todos os que quiseram enriquecer sem fazer esforço. Essa bolha que acabou de explodir foi na verdade uma pirâmide financeira e, como toda pirâmide, só ganharam os primeiros a fazer esses negócios escusos.

A propósito, a economia americana sempre foi vista como a que puxava todas as outras, para cima ou para baixo. Não há dúvida sobre isso. Quando se anunciava um fraco crescimento nos EUA, logo apareciam na televisão analistas dizendo que isso era péssimo para todo o planeta, que o PIB dos EUA deveria crescer pelo menos uns 3% ao ano, e todos vibravam quando o Fed baixava ainda mais os baixíssimos juros, tornando-se negativas as aplicações, depois de descontada a inflação. É claro que um modelo desse tipo não tinha como se sustentar. Isso me faz lembrar daquele documentário em que um homem é designado para só comer produtos do McDonald's, durante um mês. O resultado foi aterrador: sua saúde corria sérios riscos, com excesso de gordura, colesterol etc. A economia americana está no limite de saturação: é o Fat Man do McDonald's, querendo comer cada vez mais. E, incrível, em vez de se fazer uma boa lipoaspiração no Fat Man, injeta-se mais US$ 800 bilhões na esclerosada economia! No meu entender, estão apenas levando tudo "com a barriga", deixando para a verdadeira explosão gordurosa ocorrer mais adiante. Com Barack Obama, ponha "barriga" nisso, já que ele prometeu o sétimo céu a todos os seus concidadãos e vai apenas fazer mais gastos, não sanear a economia, pois isso exige medidas duras que iriam detonar sua alta popularidade. Se Obama seguir o caminho mais fácil, o Fat Man vai se tornar ainda mais horrendo, explodindo suas banhas em algum momento.

E a próxima bolha especulativa, qual será? A do carbono x árvores? E aí, vamos plantar árvores no Cerrado, na Caatinga e na Amazônia?...

Atenciosamente,

F. Maier


***

Date: Sun, 9 Nov 2008 00:52:53 -0200
From:
To: ttacitus@hotmail.com
CC:
Subject: Re: Os neoliberais saem de cena. É mesmo?

Grande Félix Maier!

Veja se estou muito errado em minha análise...

Eu tenho muitos amigos brasileiros que moram nos EUA.

Todos me disseram que haviam comprado casas e mais casas nos EUA... a longos e longos prazos para pagamento em suabilíssimas prestações!

Eu sempre lhes dizia:

"Por mais que os EUA sejam tão ricos, eu não consigo entender como é possível fabricar tranto crédito, para americanos e extrangeiros adquirirem, com tantas facilidades, casas e mais casas!".

E eles me diziam: "Nos EUA há dinheiro e riqueza bastante para fazer muito mais... Todos podem comprar tudo. Prazos e prestações não são o importante... O que o governo quer é que o povo se realize em compras/consumos, pois que todos devem ser felizes. Essa é a mensagem do Governo para o povo americano...".

E eu acrescentava: "Se isso, de fato, tem lastro real, tudo bem... Mas fico a desconfiar se, com tanto gasto em guerras - principalmente a do Iraque -, fica fácil poder sustentar tudo isso. Eu eu sempre fugia de aplicações na Bolsa de Valores - primeiro por não dispor de numerário, depois por julgar um enorme risco, com aquela euforia toda de altas, com IBOVESPA a 72.000!".

E meus amigos corretores diziam: "Você está caminhando contra a razão e os fatos! Compre, compre, compre ações! Não perca o bonde da história..."

E eu perdi esse bonde de passagem muito cara e sem destino...

Alguns poucos se salvaram.

Hoje eu tenho pena daquela maioria que perdeu quase tudo. Muita pena mesmo.

Os amigos que estão nos EUA, perderam as casas compradas e os dolares utilizados nos pagamentos - tendo suas hipotecas vencidos, com quebra para eles e para os bancos...

Os corretores - que aplicaram dinheiro seu e de clientes -, completamente chorosos, a lamentar prejuízos de matar... E agora - ainda não curados - vêem esperanças de chance de recuperar o prejuízo com a esperança de Barak Obama!...

É preciso ter muita, muita, muita fé em liberais, neoliberais, comunistas, neocomunistas, socialistas, neossocialistas, marxistas, neomarxistas, nasistas, neonazistas, facistas, neofascistas, católicos, neocatócos, nacionalistas, neonacionalistas, homosexuais, neohomossexuais, feministas, neofeministas, ambientalistas, neoambientalistas, lulistas e neolulistas etc. etc. etc.

Quem quiser creia nos movimentos e entregue-se irracionalmente à sanha dos sanguessugas!

Os vampiros das madrugadas.

E do meio-dia!

Sempre vencedores.

E a dar-nos - aos perdedores - as batatas.

Sempre quentes!...

Enquanto isso, eles comiam e regalavam-se, à nossa custa - ou melhor, de quem os ama e endeusa!...

Agora, alguns deles quebraram. Mas não morreram...

Foi a crise global... Machucou meio-mundo.

Que pena.

Mas, logo, logo, passará a recessão...

O dinheiro dos contribuintes das sociedades mundiais pagará tudo!...

Há um PROER no coração e na mente de todos os cidadãos de todas as nações.

O meu Brasil brasileiro saiu na frente de todos. Isto aqui é terra abençoada. Tem lugar e riqueza para todos...

Tem mensalão, cartões corporativos, bicicletas, líderes políticos sábios e chefes que não sabem, bolsa-família, cheque-cidadão, escutas telefônicas, sigilo bancário, operações bancárias e, também, Satiagraha...

E votamos em quem joga a dança da pizza...

E temos, ainda, banqueiros Danieis, Dantas, megas-investidores Naji Nahas e ex-prefeitos Celsos Pittas. E Polícia Federal e operação Satiagraha.

(Aliás, este termo se teria inspirado na história política da Índia, onde o pacifista indiano Mahatma Gandhi desenvolveu sua atividade nacionalista, durante sua campanha pela independência do seu país (Índia). Esse termo terá surgido no sânscrito. Assim: "Satya" = significaria "verdade"; "agraha" = "firmeza". Então, ficaria: Satyagraha = "firmeza na verdade, ou "firmeza da verdade". Gandhi terá sido um dos idealizadores e fundadores do moderno Estado indiano, onde foi defensor do Satiagraha, ou princípio da não-agressão, não-violência nos protestos, fazendo a sua revolução pacifista.)

E o outro banqueiro - Caciola - retornou!...

Mas - graças a Deus - nosso Brasil é um país pacifista e civilizado e respeitador dos direitos! Temos o mandado de segurança - para livrar de excessos judiciais e policialescos!...

Enquanto isso, alguns sábios economistas - mundo afora - nos estarão a oferecer novíssimas grandes chances de enriquecimento...

Obviamente, para eles!...

Tudo outra vez - e sempre!

Alguns procurarão manter-se por fora das suas ofertas.

Mas muitos estarão buscando sua generosidade... em troca oferecendo suas próprias entranhas!...

Outra vez!

É a regra da vida - dos sabidos e safados tão queridos de tantos!

Abraços,

Ruben Quaresma