quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Beijinho 2008: Final dos Jogos Paraolímpicos

Félix Maier

22/09/2008

No dia 17 de setembro de 2008, ocorreu a cerimônia de encerramento dos Jogos Paraolímpicos de Pequim, após a Maratona em que o brasileiro Tito Sena coquistou a medalha de prata. Outros dois brasileiros também fizeram bonito na Maratona, Ozivan Bonfim e Moisés Neto, ficando na quinta e nona colocações, respectivamente.

A Grã-Bretanha, mais uma vez, mostrou que não está pra brincadeira. Nos jogos convencionais de Pequim, havia ficado em quarto lugar, depois da China, dos EUA e da Rússia. Com os paraolímpicos, ficou em segundo, não dando a mínima chance aos americanos e russos. Esta performance faz prever como serão disputados os jogos em Londres, em 2012, com a briga destas quatro potências olímpicas.

Os destaques brasileiros ocorreram no Cubo d'Água, onde o Brasil conquistou 19 medalhas, posição só superada pelas Paraolimpíadas de Sidney, em 2000, quando foram 23 medalhas. Não fosse a representação feita pela França contra o nadador brasileiro Clodoaldo Silva, que foi obrigado a mudar de categoia, o recorde poderia ter sido superado nestes jogos. Vale lembrar que Clodoaldo ganhou 7 (6 de ouro e 1 de prata) das 17 medalhas conquistadas pelos brasileiros em Atenas, em 2004. Em Pequim, depois de mudar da categoria S4 para S5, Clodoaldo conseguiu apenas uma medalha de bronze (revezamento 4x50 m livre).

Dentre os atletas da natação, vale destacar as atuações de Daniel Dias e André Brasil, que conquistaram 8 medalhas de ouro - um Phelps inteiro! Daniel Dias, da categoria S5, ganhou 4 medalhas de ouro (50 m costas, 200 m medley, 100 m e 200 m livre) e 1 de prata (200 m medley). André Brasil, da categoria S10, ganhou 4 de ouro (50 m livre, 100 m livre, 400 m livre e 100 m borboleta) e 1 de prata (200 m medley).

No atletismo, o destaque ficou com Lucas Prado, o cego mais rápido do mundo. O brasileiro não deu chance aos adversários nas competições de 100 m, 200 m e 400 m, em um Ninho do Pássaro sempre lotado.

No quadro final de medalhas, o Brasil ficou em um honroso 9º lugar, com 16 medalhas de ouro, 14 de prata e 17 de bronze.

Em outro texto, eu já havia abordado a injustiça que é o fato de apenas as medalhas de ouro servirem para a confecção do ranking, desfazendo-se as medalhas de prata e bronze. Assim, se um país tiver 1 medalha de ouro, 0 de prata e 0 de bronze, fica na frente de outro que tenha, p. ex., 0 medalha de ouro, 5 de prata e 15 de bronze. Um absurdo total. O correto seria fazer uma ponderação, dar um peso às medalhas: 3 pontos para as de ouro, 2 pontos para as de prata e 1 ponto para as de bronze.

Aplicando-se esse modelo por mim sugerido, a Rússia e o Canadá ficariam na frente da África do Sul, e a Espanha estaria na frente do Brasil. Seria mais justo, sem patriotada. Nos jogos olímpicos convencionais de Pequim, o Brasil ganhou mais medalhas de ouro do que Cuba, p. ex., mas ficaria atrás daquele país caribenho caso fosse adotado o critério da ponderação.

Parabéns, atletas paraolímpicos! Vocês nos deram muito orgulho! Até 2012!


Quadro de medalhas:

Ranking Países Ouro Prata Bronze Total

1º China 89 70 52 211
2º Grã-Bretanha 42 29 31 102
3º Estados Unidos 36 35 28 99
4º Ucrânia 24 18 32 74
5º Austrália 23 29 27 79
6º África do Sul 21 3 6 30
7º Canadá 19 10 21 50
8º Rússia 18 23 22 63
9º Brasil 16 14 17 47
10º Espanha 15 21 22 58
11º Alemanha 14 25 20 59
12º França 12 21 19 52
13º Coréia do Sul 10 8 13 31
14º México 10 3 7 20
15º Tunísia 9 9 3 21
16º República Checa 6 3 18 27
17º Japão 5 14 8 27
18º Polônia 5 12 13 30
19º Holanda 5 10 7 22
20º Grécia 5 9 10 24
21º Bielo-Rússia 5 7 1 13
22º Irã 5 6 3 14
23º Cuba 5 3 6 14
24º Nova Zelândia 5 3 4 12
24º Suécia 5 3 4 12
26º Hong Kong 5 3 3 11
27º Quênia 5 3 1 9
28º Itália 4 7 7 18
29º Egito 4 4 4 12
30º Nigéria 4 4 1 9
31º Argélia 4 3 8 15
32º Marrocos 4 1 2 7
33º Áustria 4 1 1 6
34º Suíça 3 2 6 11
35º Dinamarca 3 2 4 9
36º República da Irlanda 3 1 1 5
37º Croácia 3 1 0 4
38º Azerbaidjão 2 3 5 10
39º Eslováquia 2 3 1 6
40º Finlândia 2 2 2 6
41º Tailândia 1 5 7 13
42º Portugal 1 4 2 7
43º Noruega 1 3 3 7
44º Chipre 1 2 1 4
45º Letônia 1 2 0 3
46º Cingapura 1 1 2 4
46º Venezuela 1 1 2 4
48º Arábia Saudita 1 1 0 2
49º Hungria 1 0 5 6
50º Taiwan 1 0 1 2
50º Turquia 1 0 1 2
52º Mongólia 1 0 0 1
53º Israel 0 5 1 6
54º Angola 0 3 0 3
55º Jordânia 0 2 2 4
56º Lituânia 0 2 0 2
56º Sérvia 0 2 0 2
58º Argentina 0 1 5 6
59º Eslovênia 0 1 2 3
60º Buulgária 0 1 1 2
60º Colômbia 0 1 1 2
60º Iraque 0 1 1 2
63º Bósnia-Herzegóvina 0 1 0 1
63º Emirados Árabes Unidos 0 1 0 1
63º Papua Nova Guiné 0 1 0 1
63º Paquistão 0 1 0 1
63º Romênia 0 1 0 1
68º Líbano 0 0 2 2
69º Bélgica 0 0 1 1
69º Estônia 0 0 1 1
69º Jamaica 0 0 1 1
69º Laos 0 0 1 1
69º Malásia 0 0 1 1
69º Namíbia 0 0 1 1
69º Porto Rico 0 0 1 1
69º Síria 0 0 1 1