sábado, 27 de dezembro de 2008

Reis, rainhas e drag queens...

Félix Maier

11/07/2003

Nos tempos modernos em que vivemos, é difícil existir um Governo “Real”, como o de sua Majestade “Rainha” Elizabeth, do Reino Unido. Porém, se na política a “realeza” anda em baixa, na vida prática ela sempre esteve em evidência, provando que, no fundo, todos nós gostaríamos de ter um pouco de sangue azul, de nos sentir “reis” ou “rainhas” – ainda que alguns prefiram ser “drag queens”...

Vejamos. Quando queremos destacar alguém, logo o chamamos de “rei”. Assim, temos o “rei” do futebol, Pelé, o “rei” do rock, Elvis Presley, o “rei” do baseado, Jimmy Hendrix. Milene, mulher do “fenômeno” Ronaldo, é a “rainha” das embaixadas – não a do circuito Elizabeth Arden, a da bola mesmo. A lista é longa: só no Brasil temos muitos “reinados” se destacando: “rei” do café, “rei” da soja, “rei” do suco de laranja, “rei” do açúcar, “rei” do álcool, “rei” do aço.

Leia texto completo em http://www.usinadeletras.com.br/exibelotexto.php?cod=22625&cat=Artigos&vinda=S