terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Pigmentômetro

Félix Maier

19/12/2001

Ganha vulto junto aos arautos do “politicamente correto” os conceitos de “ação afirmativa” inventada pelos americanos do norte. E que agora está sendo tropicalizada para implementação na Terra de Macunaíma. Ou seja, estudam-se formas de colocar vagas à disposição de negros, para que um número maior deles ingresse em nossas universidades. Ao mesmo tempo, implanta-se projeto semelhante no trabalho em geral, tanto no serviço público, quanto no privado, a começar pelo Ministério da Justiça. Inventou-se em nosso País um cabide de empregos com verniz negro.

É claro que nunca se vai acabar com qualquer tipo de discriminação utilizando uma outra forma de discriminação. Isso tudo é apenas um programa demagógico, racista, que vai contra os princípios de igualdade preconizada em nossa Constituição. Está mais do que provado que são os pobres, e não a apenas a população negra, que de modo geral não têm acesso ao ensino superior e ao mercado de trabalho qualificado. É a pobreza que confina populações inteiras a vegetar na miséria herdada de seus ascendentes, as quais nunca tiveram a mínima condição para subir a patamares sociais mais elevados, ocasionando um círculo vicioso que não pára de rodar.

Leia texto completo em http://www.usinadeletras.com.br/exibelotexto.php?cod=1164&cat=Ensaios&vinda=S