terça-feira, 30 de dezembro de 2008

O Exército perdeu sua bússola

Félix Maier

25/08/2004

O Centro de Comunicação Social do Exército (CComSEx), na Edição Especial do Dia do Soldado (25 de agosto), em encarte feito na Folha Dirigida, faz justa e digna homenagem ao maior de nossos soldados, Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias.

Nas 2ª e 3ª páginas do encarte, há as respectivas manchetes: "Ontem - defendendo a liberdade" e "Hoje - mantendo a paz".

Na 2ª página, há fotos que destacam a atuação da Força Expedicionária Brasileira (FEB), desde o embarque do contingente, com destino à Itália, até a posição de tropas nas proximidades de Monte Castelo, patrulhamento de Montese, negociações para a rendição de uma Divisão alemã às tropas brasileiras e o desfile na Avenida Rio Branco, Rio de Janeiro, na volta vitoriosa dos pracinhas à Pátria.

Na 3ª página, há fotos de integrantes do Exército em Operações de Paz no exterior, patrocinadas pela ONU, assim como ações cívico-sociais internas e o trabalho dos batalhões de Engenharia de Construção, ajudando o Ministério dos Transportes na construção de rodovias e ferrovias.

O enfoque da 2ª página é altamente diplomático e político, pois não há como deixar de louvar a participação da FEB na luta mundial contra o nazifascismo, ainda que de uma maneira secundária, proporcional à força de seu minguado contingente. É o tipo de abordagem que não suscita nenhum tipo de refutação.


Porém, ao imprimir a manchete "Ontem - defendendo a liberdade", muito mais pertinente seria o Exército mostrar ao País sua participação direta, contundente, crucial e vitoriosa em uma luta mais recente, aqui dentro do território nacional, não no teatro-de-operações europeu: a luta contra o comunismo durante o auge da Guerra Fria.

Veja texto completo em http://www.doutrina.linear.nom.br/artigos/Novo/O%20Ex%E9rcito%20perdeu%20sua%20b%FAssola.htm