sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Inteligência totalitária?


Félix Maier

25/10/2003

No momento, o governo pretende criar a "nova Abin", a "espionagem participativa". Para isso, está chamando todas as representações da "sociedade civil" para discutir o assunto. Ou seja, todos os petistas e suas agremiações satélites… Félix Maier (24/10)

Em meados de 2001, Sua Suprema, o Ministro Marco Aurélio, mostrou-se "perplexo" quando soube que o Exército fazia acompanhamento do MST, tido para os militares da Escola de Inteligência Militar do Exército (EsIMEx) como "força adversa". Como se sabe, os documentos secretos do Exército apreendidos em Marabá - fartamente especulados pela Folha de S. Paulo - nunca poderiam ter vindo a público, caso os procuradores não fossem acometidos por um dualismo primário, que aproveita qualquer oportunidade para fazer média com a turma da esquerda, em atos de puro revanchismo contra as Forças Armadas que ontem combateram o terrorismo em nosso país. O MST, é óbvio, também chiou, excomungando a "bisbilhotice" dos milicos, logo o MST, que tem seu próprio serviço de Inteligência, a Intemo (Inteligência do Movimento), para catalogar o nome de todas as pessoas que lhe fazem qualquer tipo de crítica ou oposição.

Leia texto completo em http://www.midiasemmascara.org/?p=1609