terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Guerrilha desarmada

Félix Maier

29/12/2001

Há alguns anos, foi publicado um importante livro do mexicano Jorge Castañeda, A Esquerda Desarmada. Importante porque historia com bastante profundidade muitas das ações dos grupos esquerdistas atuantes na América Latina durante as décadas de 1960 e 1970, a exemplo do grupo argentino “Montoneros”.

O livro de Castañeda nos ensina que os “Montoneros” eram uma ala armada do Movimento Peronista (“soldados de Perón”), surgida em 1966, que seqüestrou, em 19 de setembro de 1974, em Buenos Aires, os irmãos Jorge e Juan Born, herdeiros do conglomerado Bunge y Born. Pela libertação dos mesmos, os “Montoneros” receberam o equivalente a US$ 64 milhões, incluindo ações, bônus e outros documentos negociáveis.

O dinheiro desse seqüestro e outros assaltos renderam US$ 70 milhões e era controlado por Mario Firmenich, “el Pepe”, e Roberto “el Negro” Quieto. Um banqueiro judeu-argentino, David Graiver, foi escolhido para depositar US$ 40 milhões nos EUA, porém o avião desapareceu sobre o México com todo o dinheiro. O restante do dinheiro, após a morte de “el Negro”, passou para a supervisão dos cubanos, em 1977, que ajudaram os sandinistas com US$ 1 milhão, a FMLN (El Salvador) com 200 mil, outro tanto para a URNG (Guatemala). O MIR (Chile) teria recebido a maior soma. Guerrilheiros de outros países centro-americanos também receberam dinheiro.

Leia texto completo em http://www.olavodecarvalho.org/convidados/0121.htm