sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Escolas de Subversão e Espionagem

Félix Maier

18/02/2003

O “Sistema Echelon”

Fóruns mundiais, de várias tendências ideológicas, passaram a denunciar nos últimos anos a rede de espionagem cósmica, conhecida como “Sistema Echelon”.

O “Echelon” é um sistema ultra-secreto de vigilância e interceptação das comunicações em escala mundial, operado pela Agência Nacional de Segurança (NSA), dos EUA, que tem 20.000 servidores e um orçamento anual de US$ 10 bilhões. O “Sistema Echelon”, através de 120 satélites Vortex, pode interceptar todo tipo de comunicações que utilizam equipamentos eletrônicos (transmissões de telefonemas, faxes ou e-mail), enviadas por satélites, cabos submarinos ou Internet. Esta rede de espionagem política e econômica mundial envolve, ainda, países anglófonos, como Reino Unido, Canadá, Austrália e Nova Zelândia. O braço europeu do “Big Brother” é o Centro de Comunicações do Governo (GCHQ) britânico, que emprega 15.000 pessoas em missões de captação e análise de informações estrangeiras. O GCHQ tem uma dezena de centros no Reino Unido, além de estações de escuta em Gibraltar, Belize, Chipre, Oman, Turquia e Austrália.

Este sistema de espionagem global foi denunciado pelo Parlamento Europeu, em 1998. Os EUA são acusados de terem utilizado o Echelon para interceptar mensagens da França por ocasião da concorrência internacional para instalação do Sistema de Vigilância da Amazônia (SIVAM), vencida pela Raytheon, dos EUA; informações privilegiadas, obtidas através do Echelon, teriam feito a Airbus Industries perder um contrato para a Boeing e a McDouglas.

Porém, há uma outra história estupenda, esquecida pela grande mídia, do que foi a vasta rede de espionagem e subversão promovida por centros irradiadores da ideologia comunista, como a URSS, a China e Cuba, que veremos a seguir.

Leia texto completo em http://www.usinadeletras.com.br/exibelotexto.php?cod=17545&cat=Artigos&vinda=S